domingo, 2 de maio de 2010

Personalidade


É isso que falta a grande parte dos adolescentes hoje em dia.

Principalmente às meninas. Vestem-se de igual, têm penteados iguais, telemóveis iguais, falam e agem da mesma maneira.

Já desconfiava, ao ver a minha irmã e as amigas, mas hoje tive a confirmação. Não são todas, graças a Deus, mas grande maioria.

No mesmo sítio onde fomos jantar hoje, estava um grupo de dez ou doze adolescentes. Entre os 14 e os 16 anos. As meninas, todas de cabelo comprido, solto, e penteado com as mãos, faço-me entender? Tops parecidos, calças iguais, casacos iguais, e malas todas, mas todas do mesmo tipo.

Uma das raparigas fazia anos, e metade deviam ser os colegas da escola, a outra metade seriam colegas de outro sítio qualquer. Nem toda a gente se conhecia.

A menina aniversariante, que pelos gritinhos dos amigos tem um nome começado por  V, será V.

Bom, quando fui aos lavabos a V. e uma das amiguinhas, que estavam à espera que a casa-de-banho ficasse livre, estavam a falar de uma M. A M. é uma galdéria, uma desbocada, uma isto, uma aquilo. Lá fui eu, descansadinha por não ser eu! Comentei com o Z., meu companheiro de lugar e de opinião.

A meio do jantar, foi a vez do Z. ir à casa-de-banho. Quando veio, e porque eu lhe disse o que tinha ouvido, ele partilhou o que ele tinha ouvido. A menina V., aniversariante, mais a amiguinha M.deu para perceber quem é quem, porque eles fizeram o favor de gritar, um-a-um o nome de cada uma dos jovens presentes. E M. só havia uma. – a dizer mal da amiguinha D.

E este mal-dizer deve ter acontecido a cada vez que a menina V. foi à casa-de-banho. E não foram poucas as vezes. Não porque tivesse vontadinha – impossível, a não ser que fosse incontinente – mas porque parece que aquela vontade de falar nas costas era mais forte.

Cá no meu tempo – quando tinha a idade delas – só convidada as pessoas que eu gostava, e não ia para a casa-de-banho falar mal deles.

Minhas queridas, se por ventura lerem este post, tenham cuidado. Ainda são novinhas, mas é nesta altura que começamos a perceber quem queremos ou não na nossa vida. É nessa altura que algumas pessoas nos podem tirar das suas vidas – mesmo que nós não queiramos – porque fizemos algo que não devíamos.

Pelos vistos tenho
karma com os lavabos.

| Jojo, Sara Paxton et Emma Roberts |

16 comentários:

Palavra Já Perdida disse...

Realmente a juventude de hoje em dia é muito triste, mesmo!
E eu quando vou para a noite, vejo muita podridão, infelizmente. Enfim.
Esperemos que futuras sejam bem melhoressss !
Quanto a falarem nas costas no wc, achas que são apenas as miúdas que falam? :P

Muáh minha Katchupzinha **

Katchup disse...

Palavrinha,
as próximas gerações serão os nossos filhos, o que depender de mim não serão assim.
E não, não são só as miúdas que o fazem. Quem não o faz?
Apenas estou a falar do que vi e ouvi. :)

Beijinhos querida!

Palavra Já Perdida disse...

Oh os meus tb vão ser bem melhoresss, possas!
E eu penso nos meus sobrinhos, que espero que ñ cresçam fúteis e ocos como estas gerações. Dois já estão a entrar na adolescência, vamos lá ver como corre!
E olha Katchupzinha, nós vamos ser umas mommys todas à maneira :D

Muáh ***

Katchup disse...

Palavrinha,
babadas, vamos ser! :)

Eu vejo pela minha irmã. Não é melhor nem pior que ninguém. É igual às outras. Não lhe vou dar sermões, ela tem de aprender sozinha. Como eu, como tu... Não éramos assim. Porque é que eles são agora?!

Palavra Já Perdida disse...

Pois, tb ñ entendo mesmo !!
Acho que talvez seja por ser uma era muito à frente, onde tem as "coisas" giras e novas logo aos 3 anos, por exemplo. O encanto perde-se muito facilmente e na nossa altura, acho que a magia durava mais tempo :)
(bem estou mm profunda hj) !

Katchupzinha, se eu tiver essa sorte, acredita que vou babar todos dias :)

Cátia disse...

"Porque é que eles são agora?!"

Pode até ser um cliché, mas a culpa é dos meios de comunicação.
Novelas, (pseudo)séries juvenis, filmes da mesma categoria...
Hoje em dia instigam os jovens a ser DAQUELA maneira que vêem na TV, se não forem são excluídos, gozados pelos colegas/sociedade em geral.
E daí se vê.
Tornam-se pequenos robots, vazios de gostos e personalidade próprias!
Sim, porque não se fica pela roupa, e como bem mencionaste!
Atitudes, comportamentos, o que ouvem, o que vestem, expressões usadas, etc.
Cópias perfeitas umas das outras, dos "ídolos" (no nosso tempo -e correndo o risco de parecer careta!- é que existiam verdadeiros ídolos!), das revistas (podemos chamar-lhe assim?), de tudo quanto vêem!
Triste, muito!

Katchup disse...

Palavrinha,
sim, talvez seja isso! Eu tive o meu telemóvel aos 15 anos, quando fui para o 10ºano. Eles agora, e vejo pelos meus primos mais novos, têm-nos aos 10 anos... Enfim!

Cátia,
é verdade que os jovens imitam o que vêm. E isso mostra falta de personalidade e gosto próprios, sim!
Mas quando eu tinha a idade que refiro no post, já haviam essas séries, revistas, etc... E não era por isso que eu fazia o que via. Há uma confusão muito grande entre a realidade e a ficção, e dizem que essa confusão deve ser explicada pelos pais. Não concordo. Eu desde que me lembro acompanho as novelas com a minha mãe, e sempre percebi que aquilo é uma novela, não é real. Ninguém teve que me dizer que aquilo é só na TV, que nem tudo é para copiar.
Os jovens de hoje não são capazes de perceber isso sozinhos?

chapeu de sol amarelo disse...

os adolescentes são tão parvinhos...:-)

Cátia disse...

Ora aí está!
Tocaste num ponto importante: os pais!
Os pais, hoje em dia usam a TV como babysitter.
Quem diz TV, diz computadores, consolas, etc.
Não são todos os acasos passíveis de condenação.
Há pais que trabalham, e MUITO, e não têm disponibilidade para estar com os filhos, compreende-se.
Mas depois há os outros... Os que para além de disponibilidade têm educação e compreensão para perceber que tudo o que é demasia é prejudicial, mas simplesmente não querem saber!

Eu vejo isso DIARIAMENTE, na minha loja.
Os pais deixam de comprar livros para entreter os filhos, agora compram jogos de consola, filmes, séries, WRESTLING (nem vou entrar por aqui... Dar Wrestling a ver a crianças de 6/7 anos é... Aliás, deveria ser CRIME. As crianças não têm noção que aquilo é mentira... Depois ficam os paizinhos escandalizados porque o "filho querido" empurrou a professora escadas abaixo!!!)

Existe uma grande falta de noção de como as coisas se processam na mente de uma criança com determinada idade. São demasiado sugestionáveis...
E uma criança que com 6 anos, em plena formação mental, é exposta a determinadas coisas, dificilmente se tornará um adolescente/adulto com capacidade para... Qualquer coisa, no fundo. lol
E a verdade é que HÁ PESSOAS QUE NUNCA DEVERIAM SER PAIS!

Katchup disse...

chapéu de sol amarelo,
alguns são! :)

Cátia,
não podia concordar mais com o que disseste. Muitos pais acham que é a escola que tem de educar. Nada disso. A escola ensina a ler, a escrever, a contar. Ensina a História, a Geografia, o Português... Na minha opinião, a educação tem de vir de casa. A "moldagem" da personalidade começa em casa, com os pais, os irmãos, os tios, os primos... Mas nalguns casos, essa "moldagem" dá-se com as marias, os manéis, os joões, os kings, os stroms, das séries e novelas. E como referiste, do Wrestling.

Enfim, não quero udar mentalidades, nem educações, mas há coisas que me deixam de boca aberta.

Cátia disse...

BINGO!
Aí está.
Querem, os paizinhos, que os seus filhos venham PESSOAS FORMADAS, da escola, quando não lhes dão as bases em casa: educação, respeito pelos outros (mais velhos ou mais novos, respeito é igual para todos!), compreensão, etc.

A escola não CRIA, ela simplesmente COMPLEMENTA...

Katchup disse...

Cátia,
Nem mais!

ACLAUDIA disse...

Infelizmente, isso é bem verdade.

Katchup disse...

@ ACLAUDIA
infelizmente é!

ACLAUDIA disse...

Eu sei bem disso, porque sou adolescente. Mas o que vale, é não somos todas assim.
Eu falo por mim, que prefiro muito mais dizer as coisas na cara, porque mete mais pica :D
E quanto ás pessoas que não gosto.. Claro que não vale a pena fingirmos que somos amigos. Vale mais sermos bem educados e dizer um simples 'bom dia'.
Enfim..

Katchup disse...

@ ACLAUDIA
Exactamente!
Mas há que saber dizer as coisas pela frente! ;)